Como o e-commerce pode usufruir do conceito e das características das cidades inteligentes e melhorar a experiência do consumidor

O que são cidades inteligentes? São aquelas projetadas para que espaços urbanos sejam responsáveis por experiências guiadas pelo uso de tecnologia de comunicação. Com o uso de recursos tecnológicos, é possível coletar dados a partir da movimentação das pessoas por esses espaços. Além disso, o propósito delas é fazer com que a mobilidade urbana seja cada vez melhor para a circulação de pessoas. Todas essas características convergem em um propósito maior: ligar sustentabilidade à tecnologia.

Como os dados são coletados

As cidades inteligentes não nascem, assim, necessariamente. Elas podem ficar a medida em que são implantados sistemas que deem a elas essa característica. São utilizados recursos como a internet das coisas, machine learning e data science para coletar e processar os dados.

Um exemplo é o patinete elétrico. As empresas conseguem coletar dados, como local em que eles mais são deixados ou requisitados, onde há muita procura, mas pouco equipamento, e a distância percorrida pelos usuários diariamente, por exemplo.

E, na maioria das vezes, esse serviço é solicitado via aplicativo baixado em um smartphone. Aliás, smartphones vêm se tornando cada vez mais fontes preciosas de dados, inclusive para o segmento de e-commerce, já que eles são uma tela importante para os consumidores que compram pela Internet.

Cidades inteligentes e os negócios

Elas geram informação o tempo todo e como o ambiente de negócios pode usufruir disso? Quem irá explicar tudo sobre este assunto é a palestrante convidada Stella Hiroki, doutora em Cidades Inteligentes, especialista na relação entre mobilidade urbana e tecnologia. Além de falar sobre inovação e negócios, irá explorar essas conexões durante o Mercado Livre Experience 2019.

Hiroki irá abordar questões, como: a metrópole como uma grande linguagem e produtora de informação, novas experiências urbanas por meio de tecnologia, micromobilidade e captação de dados. Seu debate também se estende para o papel da mulher em projetos de tecnologia. Aliás, ela é uma das poucas mulheres que falam sobre cidades inteligentes.

E as tecnologias e atributos das cidades inteligentes podem ser aplicados aos negócios a fim de melhorarem as operações e a experiência dos consumidores.

Economia inteligente

Essas informações coletadas o tempo todo impulsionam a economia e as novas oportunidades de negócio. Elas ajudam a melhorar serviços e a criar novos modelos de atuação. As empresas passam a repensar em questões simples, por exemplo, como tornar a experiência do consumidor melhor.

Isso já acontece em atendimento automatizado, mas que tem características de um entendimento pessoal: algo que se fala bastante por aqui, os chatbots.

Inovação

A partir dos dados, as empresas conseguirão ver quais as necessidades dos clientes que ainda não foram supridas. Por isso, novas demandas surgem, o que significa mais oportunidades de negócio.

A coleta de dados já acontece quando clientes navegam pelos sites ao fazerem as suas compras, por exemplo. Com isso, já dá para saber quais os anúncios mais populares ou quais os produtos menos vendidos.

Sustentabilidade

Este assunto já está em voga há um bom tempo e precisa fazer parte dos valores da empresas cada vez mais. Como a busca por companhias conscientes aumenta gradativamente, pensar em sustentabilidade é essencial. Não é mais um diferencial, e sim um pilar do negócio.

Desde empresas que optam por papéis recicláveis na hora de embalar seus pedidos, até escolher serviços de entrega que se comprometem com a redução na emissão de gases poluentes, cada atitude conta pontos positivos.

Dentro das cidades inteligentes, o princípio é que todos estão conectados e pensam de maneira coletiva, criando também um ambiente cada vez mais sustentável, com práticas que preservem o meio ambiente e evitem o desperdício, como as citadas acima. E cada uma das entidades ligadas contribuirá para o crescimento e o desenvolvimento de todos que integram este cenário, e isso inclui companhias e pessoas.


Esta matéria foi útil? Compartilhe-a agora mesmo!